Acesse sua conta
Acessar conta
Publicado em: 16/09/2016

18 anos da Cresol São Valentim são comemorados nesta sexta-feira

Nesta sexta-feira, 16 de setembro, a Cresol São Valentim completa 18 anos de constituição.

Compartilhe

Compartilhe

A Cresol São Valentim nasceu da luta dos agricultores familiares para acessar o crédito, através dos movimentos sociais e do sindicato. O processo de constituição se deu no ano de 1998, porém as portas foram abertas em 1999. O capital inicial era de R$ 80,00, porém muitos integralizaram a metade e o restante foram integralizando durante o ano. No momento de constituição eram 25 associados na cooperativa, um diretor-presidente liberado, Ademir Baldo, e uma funcionária: Elizandra Maria Echer Marinho. “Inúmeras vezes tivemos que protestar e fechar os bancos para conseguir acesso ao Pronaf e as liberações dos mesmos, pois sempre ficávamos por último”, conta Elizandra que hoje é a diretora-presidente da cooperativa.
    Após um ano e meio de atendimento a Cresol São Valentim abriu o Posto de Atendimento em Erval Grande e na sequência em Benjamin Constant do Sul, em Faxinalzinho e mais recentemente, há dois anos, em Nonoai.
    Atualmente conta com 3.643 associados, tendo como carro chefe o Pronaf Custeio. Além do município sede São Valentim, que possui 3.632 habitantes, abrange ainda Erval Grande, Benjamin Constant do Sul, Entre Rios do Sul, Faxinalzinho, Nonoai, Rio dos Índios e Gramado dos Loureiros.
Avaliação
A diretora-presidente da Cresol São Valentim, Elizandra Marinho, comenta que nestes 18 anos teve a oportunidade de passar por diversas situações, boas e ruins, com as quais aprendeu muito. “Assim como a relação com cada associado tornou-se uma relação de companheirismo e entendimento, não apenas de negócio. É muito tranquilo para mim dizer um sim ou um não, pois nesses 18 anos construímos o entendimento do cooperativismo, dos direitos, mas também dos deveres dos associados”, ressalta. “O meu grande sonho era poder trabalhar dentro da Cresol São Valentim o entendimento, o compromisso e a formação como um dos principais eixos para o sucesso”, comenta.
Elizandra frisa que os associados também participaram do processo de mudança que ocorreu no decorrer dos anos. “É notável o melhoramento de suas vidas, nós crescemos e os números não me deixam mentir”, salienta. Ela também reforça a importância que tem os conselhos dentro da Cooperativa. “Pois estamos aqui representando todos os associados, então a nossa responsabilidade é enorme, não podemos ‘brincar’ de fazer cooperativa”, enfatiza. 
A diretora-presidente conta que por amar profundamente o que faz tenta transmitir isso aos associados para que também tenham esse amor e que os funcionários sintam-se valorizados e parte do sucesso da cooperativa. “Se estou satisfeita? Não, acredito que temos muito por fazer por essa instituição tão amada e também pelo Sistema como um todo, a utopia não me deixa desistir. Embora a maioria dos associados reconheçam os nossos esforços, sonho com o dia em que a mulher tenha seu espaço reconhecido e valorizado não só em discursos, mas em atitudes”, declara. “Como diretora hoje da Cresol acredito que o meu papel é muito mais que ficar atrás de uma mesa. O meu papel é transmitir o verdadeiro cooperativismo, por isso que aposto tanto na formação seja com associados, direção, funcionários, crianças, jovens e aposentados. Para nós mudarmos o mundo que está aí e que tanto reclamamos precisamos começar por nós, com atitudes que podem parecer bem insignificantes, mas que se provocarmos o pensamento em uma pessoa, já valeu a pena”, destaca Elizandra Marinho.
 Desafio
Para a diretora-presidente a Cresol tem desafios e entre eles a expansão. “Precisamos levar essa ideia a mais pessoas e dar oportunidade de conhecerem o cooperativismo e os benefícios dessa coletividade. Também queremos expandir o processo de formação, de novas alternativas de vida aos nossos associados, como agroecologia, energias renováveis e tantas outras alternativas que o nosso sistema oferece. Nossos produtos e serviços precisam estar cada vez melhores e atender as necessidades dos nossos associados. O grande desafio hoje é termos a capacidade de inovar mantendo nossos princípios e nunca esquecendo a nossa história. Queremos fortalecer as parcerias, buscar ideias e necessidades dos associados para podermos sermos atores na sociedade”, finaliza Elizandra.

Assessoria de Imprensa da Cresol Central SC/RS