Acesse sua conta
Acessar conta
Publicado em: 30/07/2015

Associado da Cresol Sertão Central produz polpa de palma

A atividade é pioneira na região de Quixadá

Compartilhe

Compartilhe

Muito conhecida e utilizada no Nordeste do Brasil para a pastagem animal, a palma é uma ótima opção em regiões onde há longos períodos de estiagem e pouca alternativa de alimento para o gado. Mas o que poucos sabem é que a palma é utilizada na alta gastronomia em países como México e Itália por ser um alimento muito nutritivo, e considerado uma ótima opção no combate a fome e a desnutrição. Foi a partir destas informações que o associado da Cresol Sertão Central, Odalio Fernandes Coutinho Filho, buscou apoio financeiro para o processamento da palma.
Odalio diversifica a produção da propriedade com hortaliças, gado leiteiro, criação de galinha caipira, criação de galinha de angola e a palma que até a pouco tempo era utilizada apenas para a alimentação animal. Uma prática que foi mudando com a partir do momento que o associado tomou conhecimento do potencial da planta e conheceu uma experiência de processamento de palma no estado da Paraíba. Este foi o pontapé inicial para a família decidir que iniciariam o cultivo da palma também para processamento e venda como alimento.
Depois de tomada a decisão a família começou a busca por um agente financeiro para financiar a produção, após perceber que a liberação do crédito era extremamente burocrática o associado tomou conhecimento da Cresol, iniciando uma parceria que possibilitou o aumento do plantio da palma e a compra de um liquidificador para o processamento da mesma.
Para produzir a polpa da palma é utilizado apenas o broto da planta, ou seja de 15 a 20 centímetros de altura, pois é nesta faze que se encontram maior concentração de vitaminas e sais minerais. A polpa produzida pela família de Odalio é armazenada em saquinhos de 80 a 100 gramas e cada porção rende até 600 ml de suco pronto para ser consumida ao sabor natural ou adicionada a outras frutas.
Atualmente a produção ainda é pequena e o processamento é realizado na cozinha de casa, mas já possibilitou um incremento na renda familiar de R$ 100,00 mensais. Mas a família já pensa em aumentar a produção e construir uma agroindústria na propriedade para processar a palma de outras formas, produzindo além de polpa, geleias e outros produtos culinários e até cosméticos, pelo potencial que a planta possui nesta área segundo Odalio.
A propriedade de Odalio, situada na Comunidade de Sitio São Pedro no município de Quixadá, possui 11 hectares dos quais dois são destinados para o plantio de palma.

Assessoria de Imprensa da Cresol Central SC/RS