Acesse sua conta
Acessar conta
Publicado em: 02/07/2018

Cresol Sicoper libera mais de R$ 2 milhões no primeiro dia de operacionalização do Plano Safra

93 sócios já estão com os recursos disponíveis para investir na produção

Compartilhe

Compartilhe

Nesta segunda-feira, dia 02, as Cooperativas Singulares filiadas a Cresol Sicoper iniciaram oficialmente a contratação de crédito rural do novo Plano Safra. O anúncio sobre as regras deste ano agrícola foi realizado na última quarta-feira, dia 26, pelo Governo Federal, e destaca a redução de taxas de juros e a ampliação no valor da Carta de Aptidão, bem como a manutenção no volume de recursos disponibilizados.

A Cresol Sicoper realizou, no Plano Safra 2017/2018, finalizado no último sábado, dia 30, a liberação de recursos na casa de mais de R$ 318 milhões para custeio e investimento, em cerca de 14 mil contratos. Hoje, no primeiro dia do novo Plano Safra 2018/2019, o Sistema Cresol Sicoper liberou mais de R$ 2 milhões em crédito rural, com 93 contratos. Almeja-se, neste primeiro mês, liberar cerca R$ 28 milhões através de 1400 contratos.

Paula Raquel Junges, colaboradora da Cresol Posto de Atendimento de Sede Nova, avalia positivamente a agilidade na liberação do crédito. “Considero um elemento importante para a nossa cooperativa. É através da seriedade no trabalho e agilidade na liberação que ganhamos credibilidade junto ao nosso associado”, enfatiza Junges.

O Diretor Comercial da Cresol Sicoper, Claudio Risson, frisa que a Cresol está trabalhando para que, cada vez mais, o crédito rural chegue na hora certa e no volume certo para os associados. “Estamos procurando melhorar o acesso às fontes, o relacionamento com os parceiros que a Cresol opera e, desta forma, atender o nosso cooperado no tempo certo. Este novo ano agrícola é um marco histórico para a Cresol Sicoper, porque estamos efetivamente liberando recursos no primeiro dia do Plano Safra. Isso representa o compromisso que nós temos com a agricultura e com os nossos cooperados. Nossa expectativa para este ano é aumentar de 25 a 30% o volume de recursos operacionalizados”, salienta Risson.