Acesse sua conta
Acessar conta
Publicado em: 13/04/2017

Programa de Diversificação é concluído no Vale do Itajaí

O encerramento do Programa Nacional de Diversificação em Áreas Cultivadas com Tabaco foi realizado nesta quarta-feira (12/04) na região do Vale do Itajaí – SC.

Compartilhe

Compartilhe

O encerramento do Programa Nacional de Diversificação em Áreas Cultivadas com Tabaco foi realizado nesta quarta-feira (12/04) na região do Vale do Itajaí – SC. O programa foi realizado através de chamada pública para execução de serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) nos municípios que compõem os Estados Fumicultores da Região Sul, realizada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), atualmente representado pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD), beneficiando ao todo 11.200 unidades da agricultura familiar.
A Coopertec participou da chamada pública e foi selecionada para prestar serviços no Vale do Itajaí onde foram beneficiadas 880 famílias de 10 municípios: Agronômica, Rio do Campo, Rio do Oeste, Taió, Vitor Meireles, Chapadão do Lageado, Imbuia, Ituporanga, Petrolândia e Vidal Ramos. 
Uma das famílias participantes é a de Alessandro Schweder que afirma a importância do programa. “No meu caso foi muito produtivo, mudei bastante o jeito de trabalhar e de ver a agricultura. Tinha outro sistema de trabalho”, ressalta. Segundo ele, “mudou a visão” de como trabalhar na propriedade. Agora ele está iniciando a atividade com gado leiteiro. “Estou primeiramente implantando o sistema silvo pastoril. Plantei árvores, pastagem, e depois quero entrar com os animais com a pastagem já implantada. Se tivesse começado antes do projeto teria feito o contrário, teria comprado primeiro o gado e construído o galpão, mas não teria pasto. Por isso o programa foi importante para mim”, comenta Schweder. Após concluir a implantação da atividade leiteira, o produtor ainda pretende plantar orgânicos para consumo interno da propriedade e comercializar os excedentes.
Na avaliação do diretor-presidente da Coopertec, Rivando Ferron, foi um bom trabalho realizado através do programa. “A Coopertec conseguiu contratar pessoas qualificadas, atendendo a demanda do projeto que é apresentar um debate no sentido de diversificar as áreas cultivadas com tabacos. Muitas experiências importantes foram construídas”, ressalta. “As famílias que estão concluindo o projeto conseguiram ter uma nova visão dos meios de produção, de possibilidade de gerar e agregar renda, reduzir o plantio de tabaco, então para nós é uma visão de missão cumprida. Apresentamos uma série de alternativas que se tem para viabilizar a propriedade sem ser só aquela de plantar tabaco”, finaliza o diretor.
O técnico de campo Fábio Júnior Montagna afirma que foi gratificante o trabalho, de muito aprendizado. “Pudemos propor um sistema diferente para as famílias. Isso nos dá a esperança de ter propriedade familiares viáveis tanto na questão socioeconômica quanto ambientais”, salienta.
Para a coordenadora do programa no Vale do Itajaí, Aline Sens Duarte, é preciso repensar com emergência a forma com que está se fazendo a agricultura. “A forma como estamos nos organizando frente as nossas áreas de lavouras, nossos quintais e hortas, das nossas criações, das nossas relações com o mercado, para que tenhamos ‘meio ambiente’ livre de intoxicação e exploração, livre para comer com qualidade e viver com saúde. Se queremos a diversificação agroecológica como um sistema de produção de alimentos predominante, é preciso reconhecer e decompor o caminho da transição que nos leva até ela. Reconhecer no nosso dia a dia aonde estamos errando e como podemos fazer para melhorar a paisagem ecológica das nossas propriedades”, finaliza Aline.
 

Assessoria de Imprensa da Cresol Central SC/RS