Acesse sua conta
Acessar conta
Publicado em: 09/12/2013

Pronaf Mulher

Seminário reúne propostas para ampliação do acesso ao crédito entre as mulheres rurais
Pronaf Mulher

Compartilhe

Compartilhe

A Central Cresol Baser, participou na última semana em Brasília do O Seminário Mulheres Rurais e Crédito que teve como o objetivo fortalecer o diálogo entre mulheres rurais, agentes financeiros, governos e assistência técnica, promover a ampliação do acesso das mulheres às políticas de crédito do governo federal.

O Seminário foi promovido pelo MDA através da diretoria de políticas publicas para mulheres rurais, onde fez parte da programação Painéis que apresentaram discussões em torno do Pronaf como instrumento de financiamento da Agricultura Familiar.

Cerca de 30 pessoas fizeram parte desse evento, entre eles representantes de movimentos sociais e de mulheres rurais, gestores e gestoras, representantes de prestadoras de assistência técnicas, pesquisadoras, representantes de governos estaduais e agentes financeiros dentre estes a Central Cresol Baser representada pela colaboradora da área de ações estratégicas Nivalda Soster.

Os grupos de trabalho reuniram propostas para a elaboração de um plano de ação para 2014. Entre as sugestões estão: a criação, por parte dos bancos, de um plano de comunicação sobre o crédito para mulheres rurais direcionado às agências, funcionários e ao público da agricultura familiar; a definição de um espaço permanente para a discussão do crédito; a assistência técnica contínua, atendendo às especificidades de cada região, com a valorização do saber tradicional dos agricultores e agricultoras e o debate sobre a concessão; o uso da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), onde as famílias podem decidir se optam pela forma individual ou compartilhada.

“No encontro, também foi sugerido que o Pronaf seja uma linha de crédito diferenciada, onde os riscos dos empréstimos sejam assumidos pela União. A definição de metas relacionadas ao Pronaf Mulher nas instituições financeiras, bem como a instituição do crédito como política pública e direito garantido das agricultoras, com um diálogo direto com a Ater, foram outros pontos destacados.”, comenta Nivalda.

Os grupos propuseram, ainda, reformulação das Cirandas do Pronaf; novas oficinas e cursos de capacitação sobre crédito, Pronaf Mulher e agroecologia para funcionários dos bancos, técnicos e mulheres rurais; inclusão nos editais das Chamadas Pública de Ater de item sobre a necessidade da divulgação, pelos técnicos, das políticas públicas com destaque para a DAP; ampliação do fomento para empreendimentos de mulheres que praticam a agroecologia; e apoio a implementação do microcrédito orientado por mais agentes financeiros.