Acesse sua conta
Acessar conta
Publicado em: 03/05/2019

Cresol é parceira da VIII Mostra do Vinho Catarinense

Neste ano, o município de Pinheiro Preto sediará o evento

Compartilhe

Compartilhe

Divulgar a Vitivinicultura do estado de Santa Catarina é objetivo da Mostra do Vinho Catarinense, que chega na sua 8ª edição e foi lançada oficialmente na tarde do dia 24 de abril, às 15 horas, no Hall da Assembleia Legislativa, com a sangria do barril de vinho e degustação. Participaram da atividade representantes das regiões produtoras, vinícolas, vitivinicultores, autoridades estaduais e prefeitos dos municípios que integram a organização do evento.

Neste ano, o município catarinense de Pinheiro Preto sediará o evento, com o lançamento regional programado para o dia 10 de maio. Nos dias 17, 18 e 19 de maio de 2019, acontece também o 2º Baile do Vinho Catarinense, exposições de vinícolas dos três municípios e oficinas de degustação de vinho.

A VIII Mostra do Vinho Catarinense é organizada pela Prefeitura de Pinheiro Preto, com apoio das prefeituras de Videira e de Tangará, Sindivinho, Cresol Tangará, Epagri e Gabinete do Deputado Estadual Padre Pedro, as quais participam do coletivo que organiza a Mostra desde sua criação, em 2011.

Para Gilson Panceri Junior, Diretor Financeiro da Cresol Tangará, enólogo e produtor de vinho, o objetivo do evento é mostrar o diferencial do vinho catarinense, o qual, em sua avaliação, não perde em qualidade para aqueles de outras regiões e países. Panceri defendeu uma conscientização dos catarinenses para a excelência do vinho produzido no Estado. “Se você vai ao Rio Grande do Sul, o consumidor de lá vai dizer que o vinho de Bento Gonçalves é o melhor; se for à Argentina, vão dizer que o melhor é de lá. Quando vem para Santa Catarina, o catarinense, muitas vezes, prefere um vinho chileno, um francês ou mesmo de outras regiões”, frisou.

Panceri lembrou ainda que Santa Catarina, por ser um Estado pequeno, possui características que favorecem a produção de uvas e vinhos. “Temos uma sazonalidade de produção que começa lá em dezembro, no extremo oeste, continua em fevereiro e março, no meio oeste e, ainda hoje, praticamente cinco meses após começar a safra, temos uvas sendo colhidas na Serra Catarinense. Isso ocasiona dentro dos vinhos um terroir, um aroma, um sabor todo específico do Estado que fora você não vai encontrar”, afirma Panceri. Para o enólogo, os apreciadores de vinho de Santa Catarina precisam abrir mais espaço ao produto local. “Fazendo isso, ajuda nossa cadeia produtiva, porque nós produzimos com qualidade e precisamos que as pessoas consumam com mais frequência”, conclui.

Articulação iniciou em 2008
A proposta de criação da Mostra surgiu em 2009, depois da aprovação na Assembleia Legislativa do projeto do Deputado Padre Pedro, que criou o Dia do Vinho em Santa Catarina. A definição de uma data para a comemoração, junto de outras propostas dirigidas ao setor – como o fundo vitivinícola –, foram o resultado prático do Seminário da Cadeia Produtiva da Uva, realizado na cidade de Tangará, durante a Fecauva, em 2008, com a participação de produtores, especialistas, entidades do setor e Epagri.

A Mostra estimula a vitivinicultura e as cadeias produtivas paralelas ao setor, em especial o turismo e a gastronomia. Além disso, abre espaço para a divulgação da produção catarinense que contempla vinhos e espumantes de qualidade.

Informações: Agência Alesc
Fotos: Imprensa Deputado Estadual Padre Pedro Baldissera